INCLUSÃO VISITA INDÍGENAS EM DOURADOS




Em post passado, anunciamos que a Comunidade da Inclusão, a partir de um recurso enviado por Órgãos Internacionais da Comunhão Anglicana, assumiria uma ação emergencial às comunidades Kaiowá Guarani da região de Dourados-MS. - Clique aqui para ler este post

Como segundo passo desta ação, a Comunidade da Inclusão visitou neste último dia 25 (domingo) algumas realidades que poderão ser beneficiadas com o recurso financeiro. Foram visitadas: 

1. Dona Damiana, líder de um pequeno grupo, e sua família que resistem acampadas na beira da estrada esperando a oportunidade de recuperar seu Tekohá (denominação Guarani para o lugar físico no qual se pode exercer seu "modo de ser").

Dona Damiana, líder Kaiowá 

2. Alguns Tekohás que foram "retomados" pelos Kaiowá Guarani e que se localizam aos fundos de fazendas, aos quais resistem as ameças de despejo pelos donos dos latifúndios. Entre eles, está a comunidade de Seu Bonifácio, cacique do Tekohá Pacurity, que nos presenteou com uma  verdadeira: "teologia da história kaiowá guarani". Em uma linguagem simples, popular, mas rica em detalhes, Seu Bonifácio, escrevendo na terra, contou a epopeia kaiowá guarani e como os despejos feriram profundamente a continuidade de sua história e da história de seu povo. Juntamente com Seu Bonifácio, foram visitados os caciques Joel e Elizeu das retomadas de Itay e Guirá Kamby.

Seu Bonifácio e Esposa

3. Também visitamos a Reserva Jaguapiru, na qual Seu Getúlio nos recebeu e nos mostrou a importância religiosa-cultural das Casas de Reza. Estes são grandes ocas feitas de madeira, bambu e coberta com sapé e servem de local para as rezas, danças e reuniões dos Kaiowá Guarani.


Casa de Reza

A experiência com as realidades atuais dos Guarani (acampados, retomadas e reservas) foi um verdadeiro momento de conversão para toda a comunidade da Inclusão. Uma experiência quaresmal que transcende nossos limites:

"A visita aos índios da etnia Guaraní Kaiowá, em Dourados-MS, neste domingo, dia 25 de fevereiro, me mostrou um pouco da situação que vivem este povo nesta cidade e que talvez nao seja diferente em todas as outras  também [...]  Foi um dia de muita reflexão é muita tomada de consciência. Como dizer que eu sou cristão se não vejo meu irmão com os olhos do amor" - comentou Adriana Bilo

"O sorriso do Daniel, de apenas 02 anos de idade, me faz acreditar que ainda a esperança para as pessoas que creem em Deus. Uma luta, em que não fazia parte do meu dia, hoje sou mais uma na luta por esse povo sofrido, humilhado mas ao mesmo um povo que ensina a amar. Obrigada Deus, por me mostrar o quanto ainda é preciso fazer pelo próximo, a luta apenas está começando" - comentou Cristiane Maciel

"... visitar o povo Guarani Kaiowá significou trazer na  memória o tempo vivido com o povo Guarani em Conceição do Paraguay durantes os anos 91-93. O canto as danças tocarão fundo na alma. Cada visita a cada família e comunidade significou reafirmar a Fé na luta por libertação tenho certeza que Tupã Ñandeyára vai escutar o clamor de seu povo caminhar com eles significa caminhar como povo de Deus no deserto e no exílio" - comentou Revndo. Hugo Sanchez


Nossas Mulheres Missionárias Anglicanas

A partir desta visita, ficou combinado que a Comunidade da Inclusão irá utilizar o recurso para:

1. Comprar cestas básicas para algumas famílias que estão em situação de vulnerabilidade, devido aos últimos despejos e ainda não conseguem tirar da terra seu sustento;

2. Ajudar a terminar a Casa de Reza do Tekohá Pakurity, custenado transporte de materiais como sapé e alimentação durante a execução deste trabalho.

Estas atividades serão acompanhadas de perto por membros da Comunidade da Inclusão. Os próximos passos serão posteriormente informados

Agradecemos a Deus, ao CIMI e ao CEBI pela tão rica experiência e esperamos que nossa Igreja esteja aberta a outras experiências como esta. 

AGUARDEM!!!!

AGUARDEM!!!!

Postagens mais visitadas